quinta-feira, 29 de novembro de 2012

Quemcoçô?? Noncotô??... Ihh! Proncovô??


Gente, hoje cedo, verificando as mensagens no Facebook, me deparei com a postagem de uma conhecida blogueira, Imaculada Cintra e quando abri seu polst aqui Facebook encontrei um texto tão divertido, tão criativo do Padre Zezinho que me fez cair na gargalhada de tão singelo e verdadeiro que é, com uma inocência e com uma pureza de palavras que faz despertar a criança interior que existe dentro de cada um de nós! E ao mesmo tempo é uma bela aula de catequese para nossas vidas enquanto cristãos católicos!

Então resolvi publicar este texto para que assim possamos nos divertir, evangelizar e nos conscientizar da nossa condição de batizado e de cristãos engajados na evangelização neste  ANO DA FÉ!

Então aqui está o texto:

----------------------------------------------------------






QUEMCOÇÔ E NONCOTÔ


Numa pequena cidade de Minas, um jovem padre muito engraçado, mas também muito consciente e sério quando preciso, ao perceber que os jovens da cidade haviam se cansado dos grupos MOJUC e JUCAC, deixou a paróquia seis meses sem nenhum grupo. Cada um tinha minguado para menos de dez membros.

No mês de julho chamou os jovens da paróquia para começar nova experiência. Seriam as experiências do Quemcoçô e a do Noncotô. Incluiria psicologia e sociologia. Jovem gosta do inusitado. No dia aprazado, lá estavam eles, 700 jovens de todas as capelas e da matriz. Teriam que escolher entre o Quemcoçô e o Noncotô. Já chegaram dizendo – Quero ser do Quemcoçô; quero estar no Noncotô.

A primeira coisa que o Pe. Alcido fez foi aproveitar as escolhas. E começou a palestra sobre o que significam as expressões: “quero ser” e “quero estar.“ Foi um sucesso. Mais da metade admitiu que ainda não sabia dizer quem era. Não tinham ainda uma avaliação de si mesmo. E havia um considerável número de jovens que não saibam dizer em que Igreja estavam e o que significava estar na igreja Católica e não numa outra nem o que era ser alguém jovem numa igreja milenar. Um terceiro grupo sugeriu que se criasse comicamente outra sigla: os “Proncovô”. Seriam os graduados do Quemcoçô e dos Noncotô que, após um ano, tivessem passado no teste de psicologia, de catecismo e de sociologia.

A brincadeira deu certo porque a paróquia voltou a ter três pequenas bandas, três grupos de canto, novos catequistas, gente nova na pastoral da criança, da visitação, voluntários na creche e no asilo. Além disso, foi preciso fazer missa de juventude em quatro novas capelas. Cada encontro começava com uma aula de uma hora sobre noções básicas de teologia católica, aprendiam a responder questões colocadas pelos pregadores de outras igrejas à procura de católicos para converter, e resumiam os principais documentos da fé católica. Pesquisavam e eles mesmos se davam as aulas sob supervisão do pároco assistente. Quem sou eu? Em que Igreja eu estou? Para onde estou indo como católico? Quemcoçô, Noncotô e Proncovô deram certo, certíssimo!

Quer saber o nome da paróquia e da cidade? Oissóssossoocêssô! Craquinumvofalá!
Poderá também gostar de:

Um comentário:

  1. Oi Rodrigo, amei esse texto... e já passei pra coordenação do Crisma, para se fazer com nossos jovens... Amei seu novo cantinho!!!Lindo!

    ResponderExcluir

Oi! Seja bem vindo (a) ao nosso cantinho de comentários!