Qual maneira você usa para acompanhar nosso blog:

Você se lembra delas?!

Você se lembra delas?!
Confira nossas atividades de catequese!

Qui munitim eu fiz a tempos atrás!

Qui munitim eu fiz a tempos atrás!
Clique na imagem para ver melhor!

segunda-feira, 18 de setembro de 2017

São José de Curpertino


O poder da oração levou São José de Cupertino para o convento franciscano e ao sacerdócio

O santo de hoje nasceu num estábulo, a exemplo de Jesus, em Cupertino, no reino de Nápoles, a 17 de junho de 1603. Filho de pais pobres, tornou-se um pobre que enriqueceu a Igreja com sua santidade de vida.

José quando menino era a tal ponto limitado na inteligência que pouco aprendia e apresentava dificuldades nos trabalhos manuais, porém, de maneira extraordinária progrediu no campo da oração e da caridade.

São José foi despedido de dois conventos franciscanos por não conseguir corresponder aos ofícios e serviços comuns. Ele, porém, não desistia de recomendar sua causa a Santíssima Virgem, pela qual tinha sido anteriormente curado de uma grave e misteriosa enfermidade.

O poder da oração levou São José de Cupertino para o convento franciscano e ao sacerdócio, precisando para isso que a Graça suprisse as falhas da natureza. Desde então, manifestavam-se nele, fenômenos místicos acompanhados de curas milagrosas, que o tornou conhecido e procurado em toda a região.

São José de Cupertino, enriqueceu a Igreja com sua santidade

Dentre os acontecimentos espirituais o que muito se destacou foi o êxtase, que consiste naquele estado de elevação da alma ao plano sobrenatural, onde a pessoa fica momentaneamente desapegada dos sentidos e entregue totalmente numa contemplação daquilo que é Divino.

São José era tão sensível a esta realidade espiritual, que isto acontecia durante a Santa Missa, quando rezava com os Salmos e em outros momentos escolhidos por Deus; somente num dos conventos onde viveu 17 anos, seus irmãos presenciaram cerca de 70 êxtases do santo. A fama das curas milagrosas se alastrava como uma epidemia, exaltando a imaginação popular, e obrigando o Frei José, a ser transferido de convento para convento. Mas, os fenômenos se repetiam e o povo lhe tirava todo o sossego.

Como na vida da maioria dos santos não faltaram línguas caluniosas que, interpretando mal esta popularidade atribuiu-lhe poderes demoníacos aos seus milagres e êxtases, ao ponto de denunciarem o santo Frei ao Tribunal da Inquisição de Nápoles. O processo terminou reconhecendo a inocência do religioso, impondo-lhe, porém, a reclusão obrigatória e a transferência para conventos afastados.

Depois de sofrer muito e de diversas maneiras, predisse o lugar e o tempo de sua morte, que aconteceu em 18 de setembro de 1663, contando com sessenta anos de humilde testemunho e docilidade aos Carismas do Espírito Santo.

Foi beatificado por Bento XIV em 1753 e canonizado por Clemente XIII em 1767.


São José de Cupertino, rogai por nós!


Veja também o filme clicando AQUI.

domingo, 17 de setembro de 2017

Atividades de Catequese: 25º Domingo do Tempo Comum ano A 2016/17

A Parábola dos Trabalhadores da Vinha que podemos ouvir no Evangelho de hoje (Mt. 20,1-16a) é uma das parábolas mais significativas para mim, e acredito que ela seja muito importante para você também. Pois mostra o valor que Deus tem por nós e o quanto Ele quer nos recompensar por aceitarmos o nosso chamado.

Na parábola Jesus usa a figura do patrão para explicar que Deus nos chama para trabalhar em sua vinha, ou seja, em sua Igreja e independentemente de quando Ele nos chama, o pagamento é o mesmo; ou seja, o céu é a paga pelo nosso serviço aqui na terra.

O evangelista, São Mateus relata que os trabalhadores que foram contratados nas primeiras horas do dia ficaram indignados ao verem os trabalhadores que trabalharam poucas horas na vinha recebendo o mesmo que eles receberiam e retrucaram com o padrão achando que eles deveriam receber mais.

Esse é um erro muito comum entre nós pobres seres humanos, ao acharmos que merecemos mais da parte de Deus por estarmos trabalhando para o Reino do Céu a tanto tempo e que nossos irmãos que estão começando agora deveriam nos valorizar mais também. Só que esquecemos que antes de nós "sermos contratados para trabalhar na vinha" outros já estavam trabalhando antes da gente e nós, por muitas vezes, não damos o devido valor que eles também merecem e até mesmo os tratamos com desdenho por nos acharmos superiores a eles.

Tomemos esse ensinamento de Jesus como exemplo, para nos alegrarmos com aqueles irmãos que chegaram depois da gente e estão trabalhando tanto ou mais do que a gente, para que possamos unir forças e assim recebermos juntos a recompensa que está reservada para cada um de nós lá no céu.

Você gostou da nossa atividade?! Nos ajude a compartilha-la e assim evangelizaremos todos juntos. Deus abençoe!

Agora eu te peço: Antes de você imprimir nossas "Sementes da fé!" gostaria que você lesse primeiro o nosso termo de uso, clicando AQUI. Desde já agradeço!



1. Se você quiser saber como faz para imprimir esta atividade, é só clicar AQUI!

2. Se quiser saber como faço para configurá-las desta forma para exibir no meu blog é só clicar AQUI!


Fiquem com Deus e até a próxima atividade de catequese com mais uma das nossas "Sementes da fé!”. E que Deus abençoe mais este ano litúrgico que ficaremos juntos evangelizando!

domingo, 10 de setembro de 2017

Atividades de Catequese: 24º Domingo do Tempo Comum ano A 2016/17

O Evangelho de hoje (Mt. 18,21-35) é muito interessante, pois nos ensina o valor do perdão! Sei que muitas vezes é difícil perdoarmos àqueles que nos ofendem e nos magoam, mas o perdão é tão libertador, pois alivia a nossa alma.

Pedro pergunta para Jesus "Senhor, quantas vezes devo perdoar, se meu irmão pecar contra mim? Até sete vezes?". E Jesus ao responder "Não te digo até sete vezes, mas até setenta vezes sete."; ou seja, sempre.

Esse é o exemplo que o próprio Jesus nos ensinou, porque Ele próprio viveu assim. É claro que a Bíblia não relata, mas foram muitos e muitos os que pecaram contra Jesus, incluindo seus próprios discípulos; afinal eram todos humanos, falhos e pecadores. E não se lê uma só linha onde diz que Jesus desistiu de perdoa àqueles que pecaram contra Ele.

Então porque nós, pobres criaturas feitas a imagem e semelhança de Deus devemos fazer o contrário?! Nós devemos justamente seguir os passos de Jesus e nunca deixar de conceder o perdão a quem o pede. Para que Deus não aja com a gente da mesma forma que agimos com o nosso próximo ao negarmos o perdão.

Essa é a mensagem que nossa atividade de catequese quer transmitir, espero que um dia ela lhe seja útil.

Agora eu te peço: Antes de você imprimir nossas "Sementes da fé!" gostaria que você lesse primeiro o nosso termo de uso, clicando AQUI. Desde já agradeço!



Essa atividade de catequese acima foi feita no último Ano Litúrgico A entre 2013 e 2014, ficando arquivada, pois na ocasião não tivemos o 24º Domingo do Tempo Comum.



1. Se você quiser saber como faz para imprimir esta atividade, é só clicar AQUI!


2. Se quiser saber como faço para configurá-las desta forma para exibir no meu blog é só clicar AQUI

domingo, 3 de setembro de 2017

Atividades de Catequese: Exaltação da Santa Cruz ano A 2016/17

Padre Marcelo Rossi uma vez disse que "Não há salvação sem cruz. Vai ter sofrimento, mas vai ter vitória" e ele está completamente certo, pois ele só veio nos dizer o que todos os santos e santas de Deus já sabiam e aceitaram em suas vidas.

O próprio Jesus quis sofrer por nós o martírio da Cruz para nos remir dos nossos pecados e assim nos ensinou o caminho a seguir! Santo Afonso de Logório, um grande sacerdote e santo da nossa Igreja vivendo as palavras de Jesus Cristo, vendeu tudo que tinha e depois que deu tudo aos pobres seguiu Jesus, por isso ele próprio afirmou que "Deus não permitiria o mal se não pudesse tirar desse mal um bem infinitamente maior.".

E essas vivência da Palavra de Deus que lemos em Marcos 10,17-30 não necessariamente se refere aos bens materiais, mas sim ao nosso tempo! Pois Deus quer que doemos o nosso tempo e coloquemos os talentos que Ele próprio nos deu a serviço dos nossos irmãos e irmãs. Pois é assim que alcançaremos a salvação.

Por isso a Igreja Católica reserva o dia 14 de setembro para exaltarmos a Santa Cruz, esse madeiro santo que nos permitiu estarmos todos reunidos aprendendo e vivenciando o amor que Deus tem por cada um de nós. 

Pois assim como Jesus nos diz no Evangelho que podemos ler e que é reservado para esse dia (Jo. 3,13-17) "Ninguém subiu ao céu, a não ser aquele que desceu, o Filho do Homem", e só através de Jesus e abraçando a sua Cruz é que conseguiremos um dia subir ao céus junto de Deus Pai.

Espero que nossa atividade de catequese lhe seja útil um dia.

Agora eu te peço: Antes de você imprimir nossas "Sementes da fé!" gostaria que você lesse primeiro o nosso termo de uso, clicando AQUI. Desde já agradeço!



1. Se você quiser saber como faz para imprimir esta atividade, é só clicar AQUI!

2. Se quiser saber como faço para configurá-las desta forma para exibir no meu blog é só clicar AQUI!

Fiquem com Deus e até a próxima atividade de catequese com mais uma das nossas "Sementes da fé!”. E que Deus abençoe mais este ano litúrgico que ficaremos juntos evangelizando!

Atividades de Catequese: 23º Domingo do Tempo Comum ano A 2016/17

O Evangelho que inspira nossa atividade de hoje (Mt. 18,15-20) nos trás uma importante lição vinda de Jesus.

Quantas e quantas vezes vemos um irmão ou uma irmã em Cristo pecar e nos sentimos tocados a corrigir o erro daquela pessoa?! Só que na maioria das vezes somos tomados pela falta de razão e corrigimos de forma brusca e em público; e isso não é uma coisa boa. Pois da mesma forma que nossos irmãos se sentem ofendidos, nós também nos sentimos ofendidos quando somos nós que estamos sendo corrigidos em público, não é verdade?!

Não é o caso de dizer "Isso acontece porque ninguém gosta de ser corrigido, já que 'você' não é melhor do que eu!"; mas é a questão de que quem esta no pecado tem seu coração segado pela razão e acha que qualquer gesto de correção fraterna é uma afronta, uma agressão contra ele ou ela.

Jesus é claro ao nos ensinar como proceder nesses casos, por isso mesmo nos ensina que devemos chegar com o coração humilde e cheio de amor e chamar a pessoa em particular para conversarmos!... Eu até digo que o mais importante de tudo antes de falar uma só palavra é ouvir o que a pessoa tem a dizer, deixar com que ela desabafe e assim chamarmos esse nosso irmão à razão.

Claro que existem casos que precisamos de ajuda, por isso devemos contar com pessoas de bem que sabemos que irão nos ajudar e até mesmo recorrermos à "Igreja" que pode ser o padre, um religioso consagrado, um membro do nosso grupo de igreja!... Enfim, alguém que possa nos ajudar a abrandar aquele coração pecador.

Só não podemos cometer o erro de interpretar erroneamente Jesus que  "Se nem mesmo à Igreja ele ouvir, seja tratado como se fosse pagão ou um pecador público" e assim abandonar esse nosso irmão que sofre, pois o próprio Jesus também nos diz nesse Evangelho"Se dois de vós estiverem de acordo na terra sobre qualquer coisa que quiserem pedir, isso lhes será conde3dido por meu Pai que está nos céus. Pois, onde dois ou três estiverem reunidos em meu nome, eu estou ai, no meio deles". Ou seja, devemos nos afastar para não cairmos no mesmo pecado que nosso irmão, mas nunca devemos deixar de rezar pela sua conversão.

Espero que vocês gostem de nossa atividade de catequese e que ela seja útil para sua evangelização.

Agora eu te peço: Antes de você imprimir nossas "Sementes da fé!" gostaria que você lesse primeiro o nosso termo de uso, clicando AQUI. Desde já agradeço!



1. Se você quiser saber como faz para imprimir esta atividade, é só clicar AQUI!

2. Se quiser saber como faço para configurá-las desta forma para exibir no meu blog é só clicar AQUI!


Fiquem com Deus e até a próxima atividade de catequese com mais uma das nossas "Sementes da fé!”. E que Deus abençoe mais este ano litúrgico que ficaremos juntos evangelizando!

domingo, 27 de agosto de 2017

Atividades de Catequese: 22º Domingo do Tempo Comum ano A 2016/17

Quem gosta de sofrer?!... Eu não gosto, mas sei que é preciso; pois o próprio Jesus vem nos falar em outra passagem dos Evangelhos que "se o grão de trigo, caído na terra, não morrer, fica só; se morrer, produz muito fruto." (Jo. 12,24).

O sofrimento nos purifica e nos leva para Deus! E o próprio Jesus quis nos mostrar o caminho ao dizer no Evangelho de hoje (Mt. 16,21-17) "que deveria ir a Jerusalém e sofrer muito por parte dos anciãos, dos sumos sacerdotes e dos mestres da Lei", e que esse sofrimento o levaria a morte.

Claro que somos humanos e por isso falhos, e justamente por isso não conseguimos entender a dimensão das palavras de Jesus, e muitas vezes, assim como Pedro, ao sabermos do sofrimento de uma pessoa querida pedimos que a Deus que isso não aconteça.

Nossa atitude diante do nosso próprio sofrimento e do sofrimento de uma pessoa querida tem que ser de resignação sim, afinal a dor nos entristece, mas também tem que ser de alegria já que sabemos que Deus esta com a gente. Pois temos que ter sempre em nosso coração que Deus nos prepara e não nos impõe um fardo maior do que conseguimos carregar (1Cor. 10,13).

Agora imagine se Jesus tivesse evitado o sofrimento e a dor que a crucificação lhe causou!... Hoje não estaríamos aqui aprendendo sobre o amor de Deus e o quanto Ele é maravilhoso e nos ampara nas dificuldades. Façamos como Jesus e digamos "Vai para longe, Satanás! Tu és para mim uma pedra de tropeço, porque não pensas as coisas de Deus, mas sim as coisas dos homens!" e respondamos como Samuel "Eis-me aqui Senhor!" (1Sm. 3,6) e tenhamos sempre em nosso coração que "Deus não permitiria o mal se não pudesse tirar desse mal um bem infinitamente maior." (Santo Afonso de Logório).



Agora eu te peço: Antes de você imprimir nossas "Sementes da fé!" gostaria que você lesse primeiro o nosso termo de uso, clicando AQUI. Desde já agradeço!

1. Se você quiser saber como faz para imprimir esta atividade, é só clicar AQUI!

2. Se quiser saber como faço para configurá-las desta forma para exibir no meu blog é só clicar AQUI!


Fiquem com Deus e até a próxima atividade de catequese com mais uma das nossas "Sementes da fé!”. E que Deus abençoe mais este ano litúrgico que ficaremos juntos evangelizando!

sábado, 26 de agosto de 2017

As Bem-Aventuranças do Catequista


Ser catequista é ser encantador de gente, como Jesus foi. Ser encantador de gente se aprimora com o tempo e talvez seja uma das coisas mais lindas do Catequista: ser capaz de “abrir os olhos” das pessoas para a vida, para si mesmas, para o sagrado mistério do mundo e de Deus.

É uma delícia ser catequista, mesmo em meio a dor, sofrimento, dúvidas e decepções. Por isso, o catequista precisa ser declarado Feliz ou Bem-Aventurado:

Bem-aventurado o catequista que se sente chamado, no fundo do fundo de si mesmo, para essa missão. Foi capaz de ouvir a voz amorosa de Deus que o convida a ser companheiro na tarefa de construir um mundo novo.

Bem-aventurado o catequista que se descobre incompleto e, por isso, se coloca a caminho, em busca de formação, de reflexões, de conversas, de partilhas de experiências. É capaz de perder noites de sono, de dedicar dias inteiros a estudar, a ler bons livros, porque sabe que a educação da fé é uma arte que precisa de muita dedicação.

Bem-aventurado o catequista que se esforça para participar do seu grupo de catequistas porque acredita que o trabalho em conjunto é capaz de remover obstáculos e criar coisas novas. Sabe que a amizade é o encantador tempero da caminhada e da vida.

Bem-aventurado o catequista que, mesmo sem recursos disponíveis, aprendeu a ser criativo, sobretudo na arte de ser amigo dos catequizandos e soube inventar lugares e meios para anunciar a beleza de ser cristão e viver em comunidade.

Bem-aventurado o teimoso catequista que não desiste diante de desafios que aparecem na Igreja, na comunidade, no grupo de catequistas, no trabalho com os catequizandos. É capaz de "chorar as mágoas”, sem endurecer o coração. Tem o dom de se alegrar imensamente com as pequeninas conquistas e passos dados.

Bem-aventurado o catequista que descobriu a internet e as redes sociais como lugar de evangelização. Percebeu que Deus se revela em todo lugar. Está atento às novas linguagens e tem na música, na arte, no cinema, na poesia, formas privilegiadas para a transmissão da fé no mundo de hoje.  

Bem-aventurado o catequista que percebeu que, sem a Beleza a experiência cristã e a catequese permanecem incompletas, porque Deus é Beleza, esplendor e espanto. A educação da fé provoca admiração, sobressaltos de infinito, paixão pelo Absoluto, uma inexplicável emoção que nos derruba nos caminhos de Damasco, que são os de todas as vidas e nos faz novos e inquietos.

Bem-aventurado o catequista que, apaixonado pela Palavra de Deus, descobriu na experiência de seguir Jesus Cristo a alegria de viver e, por isso, anuncia a Fé na Vida. Procura ser íntegro, justo, solidário, verdadeiro, de bem com a vida, comprometido com a comunidade de fé. 

Bem-aventurados os catequistas que foram e são capazes de inspirar a caminhada, agregar pessoas, vislumbrar novos horizontes para a catequese neste país. Souberam prever ou apontar desafios e saídas em momentos de crise e escuridão. Conseguiram manter acesa a chama da alegria, apesar dos dramas que surgem no cumprimento da missão.

Não se trata de ser perfeito, mas consciente da sua imperfeição, o catequista é Feliz porque ama e se deixa surpreender pelo amor de Deus.

Lucimara Trevizan
Coordenadora da Comissão de Catequese do Regional Leste 2


Fonte: Catequese hoje