Você se lembra delas?!

Você se lembra delas?!
Confira nossas atividades de catequese!

segunda-feira, 8 de setembro de 2014

A luz no Sacrário



Por que nas igrejas católicas se acende uma luz ao lado do sacrário?

Uma lâmpada permanentemente acesa ao lado do sacrário nos lembra uma verdade de fé fundamental: a presença de Jesus no Santíssimo Sacramento.

O sacrário para nós é ponto de encontro com Jesus, Deus verdadeiro que quis ser Deus conosco, pisando o nosso chão, armando sua tenda no meio de nós[1] e... - mistério de amor! - quis ser para nós pão que alimenta e dá vida[2]. A lâmpada acesa nos lembra que Jesus está no sacrário primeiramente para ser levado aos enfermos que não podem participar da Eucaristia. Comunhão fora da missa liturgicamente não é correta embora a Igreja o permita nos casos de ausência do sacerdote.

Em segundo lugar, o pão consagrado é conservado no sacrário para adoração de todos os fiéis. É bonito ver o povo de Deus fazendo um pequeno deserto dentro de nossas igrejas para, no silêncio, falar a Jesus Cristo e ouvi-lo.

A visita ao Santíssimo Sacramento é um ato de fé muito bonito de que se valeram muitos homens e mulheres que hoje veneramos como santos de Deus. Sendo para nós verdade de fé a presença de Jesus na Eucaristia, vale a pena alertar aqueles irmãos que entram numa Igreja e oram diante de todas as imagens e passam diante do sacrário sem se dar conta que ali se conserva o pão eucarístico, que ali está Jesus Cristo, o único mediador entre Deus e os homens.

Todo cuidado é pouco com a dignidade e o respeito que se deve dar ao sacrário, que é o coração de toda igreja, de todo templo católico. Vem de longe, lá do século 13 o costume de se conservar uma luz diante do sacrário com o pão consagrado.

No século 14, o hábito já estava consolidado por todo o mundo. No antigo código de Direito Canônico, prescrevia-se que a matéria que alimenta a luz do sacrário deveria ser azeite puro de oliva ou cera de abelha. Salientava-se assim o caráter sacrificial da lâmpada que se consome enquanto ilumina.

No atual código, os cânones 938[3] e 939[4] dispõem sobre como deve ser o sacrário e o cuidado que se deve ter com ele. E o cânone 940 prescreve: Diante do tabernáculo em que se conserva a santíssima Eucaristia, brilhe continuamente uma lâmpada especial, com a que se indique e se reverencie a presença de Cristo.

Padre Cido Pereira

Fonte: Site Pai de Amor.

NOTA PESSOAL:

 Nos próximos dias, estarei publicando "A história do Sacrário", e se você quiser ler, é só clicar AQUI, AQUI, e AQUI!


[1] João 1,14
[2] João 6.22
[3]Cân. 938 — § 1. Habitualmente, a santíssima Eucaristia conserve-se apenas num único tabernáculo da igreja ou oratório.
§ 2. O tabernáculo, em que se conserva a santíssima Eucaristia, há-de situar-se nalguma parte da igreja ou oratório que seja insigne, visível, decorosamente adornada e apta para a oração.
§ 3. O tabernáculo, em que habitualmente se conserva a santíssima Eucaristia, seja inamovível, construído de matéria sólida não transparente e fechado de tal modo que se evite ao máximo o perigo de profanação.
§ 4. Por causa grave, é lícito conservar a santíssima Eucaristia, sobretudo durante a noite, noutro lugar mais seguro e que seja decoroso.
§ 5. Quem tiver o cuidado da igreja ou oratório providencie para que a chave do tabernáculo, em que se conserva a santíssima Eucaristia, seja guardada com toda a cautela.
[4]Cân. 939 — Conservem-se na píxide ou num vaso as hóstias consagradas, em quantidade suficiente para as necessidades dos fiéis, e renovem-se com frequência, consumindo-se devidamente as antigas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Oi! Seja bem vindo (a) ao nosso cantinho de comentários!